sábado, 25 de julho de 2009

Esses garotos e garotas maravilhosos que nos fazem rir

Os médicos dizem que ele não vai passar desta noite, coitado. Mas, quando um cheiro delicioso de torta de camarão invade o quarto, ele, com dificuldade, chama o filho adolescente e pede:

— Eu queria comer pela última vez um pedaço da torta que tua mãe faz.

O garoto vai à cozinha e volta:

— Mamãe disse que aquela torta é para comer só depois do enterro.

Aborrecidíssimo, o garoto volta da escola, joga a pasta com os cadernos num canto e se queixa com a mãe:

— Mamãe, os outros meninos ficam me gozando na escola.

— São uns mal-educados — diz a mãe. — Mas o que eles fazem com você?

— Me chamam de "filhote de Drácula" e dizem que eu tenho dentes de vampiro.

— Ora, meu bem, você sabe que não é verdade.

— É, eu sei. Mas eles me chamam — insiste o menino, choroso.

— Vejamos — diz a mãe, consoladora, tentando pegar no queixo do filho, que ele mantém obstinadamente encostado ao peito. — E levanta essa bendita cabeça! Não vê que está furando a camisa?

A mãe do garotinho de 5 anos volta de viagem após quase um mês e pergunta:

— E então, filhinho, como foi tudo na minha ausência?

— Tudo bem, mamãe. Teve só uma noite que deu um tremendo temporal e o papai dormiu na cama dele com eu...

— Comigo — corrigiu a babá.

— Não, isso foi na sexta-feira — diz o filhinho. — Estou falando da quinta, quando choveu.

Antes da argüição de História, os meninos combinam sabotar o professor e responder "não sei" a qualquer pergunta que ele faça. Assim, quando o professor pergunta: "Independência ou morte! Quem disse isso?", todos ficam mudos. Todos — menos um japonezinho caxias.

— Dom Pedro I — ele responde.

— Japonês filho da puta! — resmunga um garoto ao seu lado.

— Quem disse isso? — berra o professor, indignado.

E o japonezinho ataca de novo:

— General Douglas MacArthur, ao desembarcar nas Filipinas no fim da Segunda Guerra Mundial.

O garoto chega no meio da aula:

— Desculpe o atraso, professora!

— Atrasado novamente? É sempre assim: se não chega atrasado à aulas, falta. O que pretende ser se comportando desse jeito?

— Deputado, professora!

A garota chega em casa e vai logo contando à mãe:

— Mamãe! Mamãe!! Estive no escritório do papai e conheci a secretária dele. Ela parece uma boneca!

— Verdade! Ela é mesmo muito bonita! — disfarça o pai.

E a garota:

— Eu acho que parece uma boneca porque quando o papai manda que se deite no sofá, ela fecha os olhinhos!

O menininho entra de repente no quarto e flagra a mamãe deitada por cima do papai.

— Que é que você está fazendo, manhê?

— Ah, querido... bem... é que o seu pai está muito gordo e eu estou retirando todo o ar que está dentro dele...

— Não adianta, manhê, porque a vizinha do lado vai encher ele de novo, soprando no canudinho!

Perdido na multidão, o garotinho aproxima-se de um guarda, chorando:

— Ei, seu guarda, o senhor não viu por aí um homem e uma mulher sem um menininho assim como eu?

A professora escorrega e cai na sala de aula e, no tombo, seu vestido sobe até a cabeça. Levanta-se, arruma-se rapidamente e interroga os alunos:

— Luisinho, o que você viu?

— Sua canela, professora.

— Uma semana de suspensão! E você, Carlinhos?

— Só vi o joelho.

— Um mês de suspensão! Joãozinho, e você, o que viu?

Joãozinho levanta-se, pega os cadernos e vai saindo da classe:

— Bem, pessoal, até o ano que vem.

—Professora, um menino da minha idade pode ter filhos?

— De jeito nenhum. Você é muito novinho!

— E uma menininha como a Aninha pode?

— Claro que não. Ela também é muito pequena para isso!

— Viu só, Aninha? Eu não falei que não tinha perigo?

Marido e mulher estão transando no quarto, e o orgasmo vem chegando:

— Eu já vou, eu já vou! — diz a mulher.

— Já tou indo, já tou indo! — diz o marido.

Do lado de fora, junto à porta, o filhinho pequeno, que escuta, berra:

— Manhêêê, e eu vou ficar com quem?

Dois irmãos conversam:

— Maurício, se você tivesse três casas, você me dava uma?

— Claro!

— E se você tivesse três carros, me dava um?

— Não tenha dúvida!!

— Como você é legal, irmão! E se você tivesse três namoradas, me dava uma?

— Ah... isso eu não dava, não!

— Por quê?

— Porque eu tenho três namoradas!!!

Diálogo entre dois garotos dos dias atuais:

— Ué, você conhece esse homem que passou e te disse "alô"?

— Sim. Ele foi o meu pai do ano passado.

O menino irlandês leva a amiguinha de 5 anos para tomar banho no rio.

— Puxa — se espanta a menina. — Nunca pensei que houvesse tanta diferença entre católicos e protestantes.

O garoto de 6 anos diz ao irmãozinho de 5:

— Vá perguntar à mamãe se a gente pode jogar videogame!

E o moleque:

— Vá você, que conhece ela há mais tempo!

—Meu pai é melhor que o seu!

— Não é nada!

— Meu irmão é melhor que o seu!

— É coisa nenhuma!

— Minha mãe é melhor que a sua!

— Bom... Isso aí meu pai também acha.

Duas meninas conversam:

— Qual é mais importante, o sol ou a lua?

— É a lua! Ela ilumina tudo quando está escuro! Graças a ela, enxergamos à noite!

— Mas... e o sol?

— Acho que o sol não serve para nada! Ele brilha de dia, quando tudo está claro.

O pai chama o filho de 11 anos para a inevitável conversa sobre a origem dos bebês. Mas nem tem chance de abrir a boca.

— Pera aí, papai — reclama o garoto. — Quando fiz 7 anos, você me confessou que o coelhinho da Páscoa não existe. Quando completei 9 anos, você veio me contar que Papai Noel também não existe. Se esse negócio de trepar também for mentira, eu acabo desistindo.

Pai e filho olham uma cabra. O pai pega no rabo do animal, puxa para cima e olha a traseira muito atentamente. O filho fica intrigado:

— Pai, pra que isso?

— É para saber se a cabra é boa. Se for, eu compro.

E o menino:

— Então o seu Zeca quer comprar a mãe.

Joãzinho pergunta à mãe:

— Mãe, como foi que eu vim ao mundo?

— Bem... uma cegonha trouxe você...

— Ah, é? E o papai?

— O seu pai veio de um ovinho da Páscoa!

— Hum... E o vovô?

— O seu avô veio dentro do saco do Papai Noel.

— Ih, mãe... Ninguém transa nesta família?

No Jardim Botânico, no Rio, duas crianças, filhos de artistas, conversam:

— Eu tenho dois irmãos e duas irmãs.

— Eu não tenho nenhum. Mas tenho três pais da minha primeira mãe e quatro mães do meu primeiro pai.

O garotinho de 3 anos sai do banheiro:

— Mamãe! Sabonete fala e canta?

— Não, meu filho! Por quê?

— Então eu me esfreguei no banho com o seu radinho de pilha.

A professora pergunta a Pedrinho:

— Onde são encontrados os elefantes?

Ele pensa um pouco e responde:

— São uns bichos tão grandes que acho impossível alguém perder um.

Aula de Português. A professora pergunta a Zequinha:

— A mulher comprava. Que tempo é esse?

— Passado, professora.

— Está certo. Mais uma pergunta para você tirar uma nota 10. Se eu digo: seu pai tem dinheiro, que tempo é esse?

— A primeira semana do mês.

A professora pergunta ao Pedrinho:

— Pedrinho, quanto são 2 mais 2?

— Mas, professora, assim, sem mais nem menos? Eu preciso de mais detalhes.

Depois de ficar olhando pelo buraco da fechadura do quarto dos pais, Joãozinho não compreende.

— Por que eles reclamam quando eu chupo o dedinho?

O garoto pergunta ao pai:

— Quanto custa para casar? O pai responde:

— Não sei, filho. Ainda não terminei de pagar.

Nenhum comentário: