terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O Balão


"O BALÃO"

Se você conseguir imaginar a cena, esta piada vai ser impagável...

 

O pirralho estava brincando pelo apartamento com um destes balõezinhos de festa de aniversário, tipo bexiga. Chutava prá cá, chutava prá lá, até que o balão acabou entrando no banheiro e foi cair justamente dentro da privada.

 Ele chegou, espiou a bola molhada, ficou com nojo e deixou a danada ali mesmo.

 Pouco tempo depois seu pai entrou para se "desocupar" e nem notou a bola.

Ficou ali, lendo, enquanto fazia o "serviço". Ao terminar, olhou para o vaso sanitário. Suas fezes haviam coberto o balão e a impressão que se tinha era de um imenso, um absurdo, um gigantesco bolo fecal! Sem acreditar naquilo, ligou dali mesmo, pelo celular, para o seu amigo que era médico:

 - Geraldo, eu enchi a privada de bosta. Nunca vi tanta assim na minha vida, cara! Tá quase passando do limite do vaso! Acho que eu devo estar com algum problema sério!

 - Que isso, Anselmo, cê tá exagerando! 

 - Que exagerando o quê, meu! Eu tô olhando pra esse 'merdel' todo agora! É um absurdo! Eu devo estar doente!

 - Bom, eu já tava indo pra casa mesmo... aproveito e passo aí que é caminho!

 O médico chega e vai direto ao encontro do amigo, que estava na porta do banheiro esperando.

 - Olá, Anselmo, cadê o negócio que vo... NOSSA MÃE DO CÉU! O que é isso?

 O que você comeu, criatura?

 - Não falei?! Agora tá acreditando, né?!

 - Nossa! Isso é inacreditável! 

 - E então, será que eu tenho algum problema sério?!

 - Olha, o melhor é eu pegar uma amostra desse cocozão e mandar para análise.

 O médico saca uma pequena espátula e um frasco esterilizado de sua maleta, espeta o 'bolo' para coletar uma amostra do material e.... BUMMM  !!!!!!!!!!!

 A bexiga estoura e voa merda pra tudo que é lado!

 

Seguem-se instantes de absoluto silêncio.... Os dois, completamente sujos de bosta, se olham e, estupefato, o médico berra:

 

- PUUUUUTA QUE O PARIU !!!!! Eu achava que já tinha visto de tudo nesta vida, mas peido com casca, nunca!

Nenhum comentário: